Formação Atenção Conjunta e Envolvimento – Desenvolvimento comunicativo de crianças com PEA

110,00

Informações Gerais

Regime: Presencial
Duração: 8 Horas
Data: 15 Junho 2019
Horário:
Sábado das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
Local: Porto – Avenida Sidónio Pais 379, Ed. B Sala 11, 4100-468 Porto
Inscrições até: 5 Junho 2019
Nº Vagas: 10- 24

 

Campanha “Revela Amizade”

Nota:  A campanha “Revela Amizade” só é válida quando finalizada a inscrição por ambos os amigos. Cada formando tem que escrever nas notas da sua inscrição o nome do amigo, de forma a ser válido o cupão de desconto: RA40ACE

10 em stock (pode ser encomendado sem stock)

REF: SA150619ACG Categorias: ,

Descrição

A comunicação social é uma das áreas prioritárias de intervenção para crianças e jovens com Perturbações do Espetro do Autismo (PEA). O desenvolvimento da comunicação acontece de forma diferente e mais lenta nas crianças com PEA. Devido aos desafios sensoriais associados à perturbação, as crianças podem parecer mais interessadas em objetos, do que nas pessoas, distraídas ou pouco envolvidas. O avanço científico tem chamado a atenção para a necessidade dos pais e profissionais estarem habilitados para lidar com estas características desenvolvimentais específicas, para que a intervenção se inicie o mais precocemente possível. O estabelecimento de relações positivas e de confiança são fundamentais para o desenvolvimento de qualquer criança. No caso das crianças com PEA, o afeto, a promoção a partilha da atenção entre a criança e o interlocutor e envolvimento durante as interações sociais, são a base para o desenvolvimento social e comunicativo.

 

Enquanto profissionais responsáveis pela avaliação, diagnóstico e intervenção na patologia da comunicação humana, o terapeuta da fala deverá conhecer os conceitos, assim como estratégias, atividades e o papel dos parceiros comunicativos, para responder da forma mais eficaz e individualizada, às necessidades e expetativas das crianças com PEA e das suas famílias.

• Aceder a informação atualizada e suportada por evidência científica sobre as melhores práticas para o desenvolvimento comunicativo de crianças com PEA;
• Reconhecer as principais características de padrões de desenvolvimento de bebés e crianças que têm, ou estão em risco de desenvolver, uma perturbação do espetro do autismo;
• Selecionar estratégias para promover as interações sociais com crianças com PEA, com dificuldades graves de comunicação;
• Identificar comportamentos comunicativos que promovam a atenção conjunta e o envolvimento das crianças com PEA, durante as interações sociais.
• Analisar os comportamentos dos parceiros comunicativos que promovem a atenção conjunta e o envolvimento das crianças com PEA durante as interações sociais.
• Selecionar atividades e materiais e auxiliem na manutenção da atenção conjunta e no envolvimento.
  1. Características comunicativas das crianças com PEA, com graves alterações da comunicação
  2. Atenção Conjunta
  • Iniciativa de Atenção Conjunta;
  • Resposta à atenção conjunta;
  • Manutenção da Atenção Conjunta;
  • Estratégias e ajudas;
  • Atividades práticas e materiais que auxiliam a manutenção da atenção conjunta.
  1. O conceito de Envolvimento na prática clínica do TF;
  • Comportamentos/estratégias que promovem o envolvimento de crianças com PEA;
  • Atividades e materiais que promovem o envolvimento;
  1. O papel do parceiro comunicativo durante as interações com crianças com PEA, com graves problemas de comunicação.
  • Estratégias para promover as interações sociais com crianças com PEA, com dificuldades graves de comunicação;
  1. Atividades práticas e Materiais de intervenção.
Ana Catarina Gaspar
Exerce funções de Terapeuta da Fala na Getting it – Pediatria e Desenvolvimento e no Psikontacto – Núcleo de Formação e Intervenção. Formadora nas áreas da Interação, Comunicação e Linguagem e das Perturbações do Espetro do Autismo. Oradora convidada, sobre temas relacionados com a Comunicação, Linguagem e Perturbações do Espetro do Autismo, em Pós-Graduações e Mestrados, na ESEC. Licenciada em Terapia da Fala, pela Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto e Mestre em Educação Especial – Ramo Intervenção Educativa Precoce, pela Universidade do Minho. Doutoranda em Estudos da Criança na Universidade do Minho. Ao longo do seu percurso profissional e académico tem-se especializado no trabalho com famílias com crianças e jovens com Perturbações do Espetro de Autismo e outras alterações do neurodesenvolvimento, intervenção do terapeuta da fala nos contextos naturais e interações entre pares com e sem Necessidades Educativas Especiais. Membro de painéis de peritos de projetos de investigação de mestrado e doutoramento e colaboradora num projeto de desenvolvimento de uma aplicação na ESEC.
Terapeutas da Fala e estudantes finalista de Terapia da Fala.

Formação Certificada por:

Entidade Certificada DGERT