Como avaliar investimento na sua empresa

Como avaliar investimentos na Empresa

100,00

Informações Gerais

Regime: Presencial
Duração: 08 Horas
Data: 23 e 24 Março 2018
Horário:
Sexta-feira das 18h00 às 22h00
Sábado das 9h00 às 13h00
Local: Porto
Inscrições até: 19 Março 2018
Nº Vagas:  12 – 20

20 em stock (pode ser encomendado sem stock)

REF: GE004_18 Categorias: , Etiquetas: , , ,

Descrição

A um conjunto de velhos conhecidos foi pedida opinião acerca da relevância da acção aqui proposta. Eis o que foi recolhido:

“Os investimentos em conhecimento geram os melhores dividendos” – Benjamim Franklin

“A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo” – Peter Drucker

“Daqui a vinte anos lamentará mais as coisas que não fez do que as que fez. Liberte-se das amarras. Navegue para longe do porto seguro. Agarre o vento que bate nas velas. Explore, sonhe, descubra” – Mark Twain

“O que não for iniciado, nunca será concluído” – Goethe

Não era isto que se esperaria de uma acção versando temas empresariais. Registe-se o que diz Omar Mithá:
“Sabe-se, com efeito, que a sustentabilidade de qualquer organização ao longo do tempo passa pela escolha de um modelo de negócio viável. Esse modelo não é estático e, assim sendo, o carácter evolutivo das empresas passa por decisões de investir ou desinvestir, entrar em novas áreas de negócio, modernizar, expandir, criar alianças. Estas decisões são estratégicas, com efeito estruturante no médio e longo prazo, e apoiam-se geralmente nas técnicas de análise de projectos de investimento.”

Isto é bem mais do que a quase redundância de Goethe…
Mas por outro lado Drucker e Twain quase fazem crer que mais do que modelizadas e trabalhadas, as decisões têm de ser decididas, em nome da realização que elas potenciam em nós…
Talvez seja um pouco assim – e a ciência até criou o alibi empreendedorismo para desculpabilizar esta, digamos, “irreverência”, de que estes dois fazem apologia:

Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória. É não esperar uma herança, mas construir uma história…(Augusto Cury).

Mas de uma forma agora mais terrena, não podemos ignorar a relevância das decisões de investimento na empresa, o impacto dessas decisões na vida das organizações, em cujo sucesso assentam a saúde da economia de uma nação e a estabilidade, o bem estar do seu povo.
Em nome das cautelas que deve ser associada à sua planificação, à gestão do seu risco, deverá ser temperado o fulgor de Drucker e Twain com a sensatez não incompatível de Franklin, e concluir-se pela relevância desta acção de formação.

No final da formação, os participantes deverão ser capazes de:

  • Analisar e ponderar o Investimento e relevância da decisão de investir – o seu sentido estratégico
  • Conhecer os tipos de investimento nas diferentes formas de organizações
  • Conhecer as noções de viabilidade económica e viabilidade financeira dos investimentos
  • Manipular e conhecer as operações financeiras associadas aos instrumentos de análise da viabilidade dos investimentos
  • Saiber como organizar a recolha dos dados relevantes para uma análise dos fluxos associados aos investimentos nas empresas
  • Saiber como iniciar a estruturação de uma análise da viabilidade de um investimento numa empresa

1. Estratégia; as condicionantes estratégicas do planeamento na empresa; planificação de médio e de curto prazo; o enquadramento das decisões de investimento;
2. A decisão de investimento;
3. A (indispensável) validação da decisão de investimento sob as diferentes perspectivas da análise da sua viabilidade;
4. A elaboração de uma análise de viabilidade de uma decisão de investimento;
5. Análise de casos diversos e auto avaliação.

Eduardo CarvalhoEduardo Carvalho

Licenciado em Economia, Pós graduado em Estudos Europeus e MBA, tem desenvolvido actividade profissional em várias organizações públicas e privadas, em Portugal e no estrangeiro, nas áreas financeira, sistemas de informação contabilística e de controlo de gestão. Em paralelo, regista 31 anos de docência no ensino superior e actividade formativa em várias instituições, em vários países.

O presente curso destina-se a quadros médios das organizações que disponham de conhecimentos nas áreas contabilística e financeira e que pretendam reciclá-los, a outros quadros médios que lidem quotidianamente nestas áreas sem dispor destes conhecimentos, a profissionais de outras áreas para quem a iniciação nestas áreas possa revestir-se de interesse, ou venha a tornar-se adequada, e a outros interessados na obtenção desta formação.